Translate

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Terra de Luto







Lavrei toda aquela terra,
E as sementes nela lancei
Estava morta nesta primavera
Mas o meu verão lhe juntei.

Tudo à volta ainda negro
Com esse manto infernal,
Mas com o passar do tempo,
Espero que tudo corra menos mal.

Toda a vida à nossa volta
Vai-se fazendo no dia a dia,
Tão depressa estamos a sorrir
Como perdemos a alegria.

Todas as minhas sementes
E todo este campo vão esperar,
Por uma chuva abençoada
Que venha regar e lavar.

Da terra nasce tudo
E tudo à terra volta…
É a quimera da vida
Fica por vezes, a nossa revolta.

O autor;
J. Boni.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Nos teus Mistérios




Nos teus mistérios, encontrei
Um amor celestial…
Nos meus olhos logo ficou,
Uma paz fenomenal.
Não os escondes-te…
E eu pensei,
Que pudesse decifrar
Mas pelo firmamento, vagueei
Sem vontade alguma de voltar.
Nos teus olhos,
A minha imagem reflectia
Uma enorme alegria…
Mas de teus lábios
Eu ouvia, a tua própria magia
Com os teus beijos sábios.

O autor;

J. Boni.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Os meus olhos não Mentem















A minha alma chora
E os meus olhos
Certamente não mentem,
O meu corpo, sinto-o a vaguear
Por belos campos primaverais...
Sempre fixados em chegar
Onde eu pensei jamais.

Esta luz emana em mim
Um tão grande acreditar,
Pelo amor espero enfim
Pelo teu belo amar.

Posso sempre atravessar
Lagos, pântanos vendavais
Por mar terra e ar...
Por vinhas, matos ou verdes trigais.

Pelo amor nunca sigo...
Nunca sigo qualquer definição,
Sigo sempre apenas e digo
Sem distorcer a minha razão.

São assim os meu olhos
Os faróis da minha alma,
Que alimentam com amor
O meu amor vindo do nada.

Por entre arvoredos
Há muito plantados,
Deambulam seus ramos
Ao sabor do vento...
Ao espreitar do sol
Com seu raios brilhantes.

O autor;
J. Boni.




sábado, 5 de novembro de 2016

Amor Humilde



Deste meu humilde r/chão
Posso sonhar bem mais alto,
Porque tenho a chama no coração
Ajuda-me a dar o salto.

Mesmo descalço já palmilhei
Vales, montes e castelos...
Por lá nunca fiquei,
Dei ao sol meus cabelos.




Chamei em mim a humilde

Que toda a minha vida foi meu pão,
Desde o meu tempo do berlinde
Desde que sinto meu coração.

Há fogueiras de vaidades...
Há vaidades sem razão,
Muitos fazem habilidades
Outros trabalham pelo pão.

Vou continuar a acreditar
No meu amor humilde...
Sem ficar a pensar,
Em novela ou filme.


O autor;
J. Boni.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Que Pensar




Apaguei a última lâmpada
Fechei a ultima janela,
A porta enferrujada
No ar o perfume dela.

O seu cabelo,
Pura miragem...
Seu coração, nem vê-lo
Como prestar vassalagem,
Neste grande pesadelo.

Algum dia vais-te lembrar
Dos momentos que juntos passamos,
Nunca te esqueças de me amar
Dos momentos em que nos amamos.

O autor;
J. Boni.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Sempre Presente





E daqui que eu vou ver
Este lindo por-do-sol...
Sentindo uma nostalgia
Até o ver nascer novamente,
Para que me venha iluminar
Mais um alegre dia.
Com muita segurança
Eu vos vou aqui contar,
Vou escrever aqui sentado
Nesta rocha tão cinzenta...
Sem olhar para o lado
Nem para o que me tormenta.

Vou ver mais este por-do-sol
Sem ter alguma ilusão,
Estás sempre para mim presente
Bem presente a minha frente,
Vem iluminar o meu coração.
Como belo astro tudo iluminas
Apesar de bem distante...
Dás vida a todo o mundo,
Distribuis tantas alegrias
Com esse teu amor elegante.

O autor;
J. Boni.







domingo, 31 de julho de 2016

O Sonho



O sonho só habita...
Na cabeça de quem nele acredita.

O sonho sempre habitou em nós,
Netos, filhos e avós.

Acredito hoje seriamente
Que o sonho faz parte da gente,
Por diversas maneiras
Convive connosco diariamente.

O sonho na nossa vida
E como a agua num rio,
Avança sempre sobre obstáculos
Que a vai fazendo tropeçar,
Mas mesmo assim como nós...
Ao destino vai parar.

Se um homem não sonhar
Nada na vida acontece,
O sol até pode brilhar
Mas não se vê a lua...
Quando anoitece.

Por esta altura do ano
E de férias que se fala...
Peço-lhes que não parem de sonhar,
O sonho não pode tirar férias
Mesmo que estejamos a descansar.

O autor;
J. Boni.