Translate

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Quero sempre Acreditar

Encontro-me no centro deste lago,
De pé, espalho em redor o meu olhar...
Tudo à minha volta, parece longínquo
Em meu corpo posso sentir,
Este infernal frio amargo.
Por não te ter junto de mim,
Que direção podem meus passos dar
Tudo é gelo em meu redor,
Que mal consigo caminhar.
Quero sempre acreditar...
No que ninguém acredita
Ao largo são as árvores,
Que suportam o meu olhar
Enquanto minha alma medita.
Não me contento em receber de ti
Apenas uma lembrança
Ou até um simples não,
Mas desejo muito a tua presença
Para que aqueça o meu coração.
Assim continuo a sonhar...
Com o que me parece impossível
No que ninguém quer acreditar
Enquanto meu coração estiver sensível.

O autor;
J. Boni.



sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Sentei-me na tua Cama

Sentei-me na tua cama,
Só te falei de desgraça
Enquanto a chuva que caia
Ia molhando a tua vidraça.

Sentei-me na tua  cama...
Contei-te uma aventura,
Apenas durou, uma semana
Mas foi plena ternura.

Falei-te em tua cama,
Apenas ficaste a escutar
Permaneceste sempre calada,
Até eu me calar...

De teus olhos saía,
Apenas compaixão...
Mas eu não sorria,
Porque chorava meu coração.

Acabei, por sair
De teu quarto, de tua vida...
Pensei que ia apenas partir,
Mas não era o que sentia.

O autor;
J. Boni.



sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Estranha Imagem

Que estranha subtileza,
Que estranho sabor de teus lábios
Meu pensamento é simples pureza,
Mas teus atos são pecados.

Quem então serei eu...
Para te poder julgar, 
Com o meu humilde sentimento
Ou apenas um rústico olhar.

Os teus cabelos esvoaçam,
Livres, soltos ao vento
Por minha cabeça, como que passam
Estrelas pelo firmamento.

Tua imagem em minha cabeça,
Teima sempre em sorrir
Pelos meus neurónios, tropeça
Mas sem vontade de partir.

Que estranha imagem,
A minha cabeça invade
São meus sonhos de coragem,
Em torno de minha vontade.

O autor;
J. Boni.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

O Nosso Céu

Ao fim da tarde, 
Tento olhar o céu,
Se o ver, talvez pense
Que sem nuvens o queria eu,
Quase sempre o sol vence.
Mas hoje, ainda não o vi
Por entre estas nuvens,
Passa uma luz, 
Linda resplandecente
Quase até que me seduz,
E me deixa muito contente.
Paira um brilho no ar,
Deixa o nosso ar tão brilhante
Fica especialmente puro,
Que ao respirar...
O nosso espírito, fica radiante.
Ficamos puros de espírito
Leve fica a nossa alma,
Assim ninguém fica aflito
Paira em nós, uma grande calma.
Desejo eu sempre ver
O nosso azulinho céu,
Porque com ou sem nuvens
Esta maravilhosa luz apareceu.
É do céu que nos vem,
O nosso ar, a nossa luz
A água, vem também
Todo amor nos seduz,
Mas principalmente, 
O amor do nosso Pai.

O autor;
J. Boni.

Para além do meu Olhar

Depois de uma noite

De luz resplandecente,
Eis que mais um dia escuro
Atravessa meu coração ausente.
De tudo, mas ao mesmo tempo
Vestido de nada...
Às vezes chego mesmo a pensar,
Onde estarei eu de verdade;
Vejo noticias na TV,
E no rádio sempre a escutar
Sem conseguir perceber,
Como devem calcular.
Para além do meu olhar
Por tempos que minha memória
Tento muito apagar, 
Não há mais para ver
Senão fome e intolerância,
Desumanização falta de respeito
Aumenta todos os dias a ganancia,
E a mim só me faz, doer o peito.

O autor;
J. Boni.




domingo, 7 de dezembro de 2014

Preciso Descansar

Deitei-me com a luz
Que o dia hoje, me quis dar
Descansar, me seduz
Nem consigo esperar.

Deitei-me com a luz,
Que vai batendo na janela
No vidro que deixa trespassar,
O meu olhar por ela.

Corpo cansado e sem alento,
Custa até respirar...
Vou manter-me bem atento
Não esquecer um momento,
Nem um pouco vou parar.

Deitei-me muito cansado,
Mas continuo ainda a pensar
No muito que tenho passado
E no que tenho que trabalhar.

Anoitece mas torna a vir
Um novo amanhecer,
Para que possa a sorrir
Ou um pouco mais sofrer.

Vou agora adormecer...
Quero um pouco descansar
Quero esta noite viver
E amanhã vou trabalhar.

O autor;
J. Boni.


domingo, 30 de novembro de 2014

Sonho Desvanecido

E o sonho desvanece-se pelo ar...
Apenas fica tristeza, falta de alegria
Acaba o sonho... apenas fica a mágoa
Minha alma vai caindo,
Vai em direção ao precipício,
Acaba o tempo de esperar
De mostrar o que sentia,
Já houve tempo em que sorria
Porque meus olhos sempre sorrindo,
Mostravam algum benefício.

O meu sonho começa em ti,
Mas dentro do meu coração
O teu olhar era a luz,
Que me inundava de paixão...
Ao duvidares deste sentimento
Olha bem para dentro de ti,
Tenta ouvir a tua razão...
Para mim só o amor seduz
O meu sentimento sem ilusão.

O autor;
J. Boni.




sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Ninguém para o Amar

Ouvi uma criança chorar
Numa casa que meu Deus,
Estará sozinha, vou entrar
Penso com os botões meus.

Não tem porta e vou,

Ao encontro deste choro
Porque será que assim sou,
Ofereço sempre o meu ombro.

Que menino tão pequeno,

Nesta espécie de berço...
Aqui está sozinho sem nada
Vou a Deus rezar-lhe um terço.

Onde estará sua família,

Sua mãe, seu pai
Quem terá deixado
Esta pequena alma tão só,
Para vir ao mundo,
Não terá suplicado
Ao ver este sofrer
Só me dá dó.

Vou pedir ajuda a alguém,

Alguém que possa ajudar...
Este ser não tem ninguém
Ninguém para o amar.

O autor;
J. Boni.

Um Raio de Sol

Um raio de sol,
Trespassa por uma nuvem
Que tão escura...
Acaba por aqui passar,
Pareceu uma flecha
De imensa felicidade,
Que ao meu coração
Acaba de chegar.

Deixa brilhar o sol
Esse sol tão lindo e brilhante,
Deixem-me para ele olhar
Deixa meu coração radiante.

Mesmo a acabar o ano,
O sol tem sempre o seu encanto
Com essa luz, não desarmo
Nem oculto o meu espanto.

Venha luz, venha magia
Venha amor, venha alegria...

O autor;
J. Boni.


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

A minha Cabana

Já vivi numa cabana...
Que não era apenas minha,
Não dormia só...em minha cama
Mas com quem, ninguém adivinha.

Virada para o rio,
Que me fazia sonhar
Às vezes tremia com frio,
Ou com o sonho de amar.

Pela janela, entrava a luz
Que iluminava o nosso pudor,
Aquela sede que seduz
O carinho do primeiro amor.

Adorava aquela cabana
Que mistificava tanto amor,
Talvez durante uma semana
Desfrutava de teu calor.

Nunca conheci outra igual,
De norte a sul do país...
Ao me lembrar, sinto um sinal
Lembro-me de quando era feliz.

Passou meses e anos...
Loucuras desencantos
Tanto tempo sem te ver,

Minhas loucuras, são espantos
De desejos tantos...
Que só sinto meu perder.

O autor;
J. Boni.

sábado, 15 de novembro de 2014

Quero ser uma Janela

Hoje abro a minha alma,
Vou abri-la ao mundo...
Respirar, vou com calma
Vou contar cada segundo.

Será que fica transparente,
Serei eu um vagabundo...
Usá-la assim é diferente
Bem aos olhos de todo o mundo.

Quero ser uma janela...
Sem persiana ou cortinado,
Quero ser teu espelho
Quando para ti, virado.

Inspirado numa cor,
Que nunca tinha imaginado
Descobri que um amor,
Nunca é eliminado.

Nunca se perde a razão,
Mesmo triste ou desolado
Ver bater...o coração
Mesmo distante, do nosso lado.

Só há magia no amor
Quando dois corações contribuem
Se amam e calam a dor...
Porque é o amor que os unem.

Para falar-mos de amor
Há muita forma de falar,
Mas quem no peito, sente esse calor
Sabe que quem ama, nunca vai parar.

O autor;
J. Boni.








sexta-feira, 14 de novembro de 2014

A chuva continua a cair

A chuva...caiu ontem
Vi-a cair hoje,
Decerto amanhã vai tornar a cair.
Como o amor que desperto
Mas que teima em não sair.


Do casulo, de sua concha...
Do coração que decerto
Não se abre ao mundo,
Mantém-se fechado...
Para não se molhar,
Infinitamente, teimoso 
Em não se querer apaixonar.
Fixa o olhar no céu,
Na rua...no além
Pensador como eu,
Mas muito sonhador também.
A chuva continua a cair,
Minha esperança é regada
Só me apetece sorrir,
Com essa chuva abençoada.

O autor:
J. Boni.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Pouco Tempo eu Chorei

Na manhã em que nasci,
Havia sol, alegria
Todos olharam para mim
As dores, era minha mãe que sentia.

Do colo de minha avó,
Passei por cima de uma balança
Os ponteiros, metiam dó
Os cinco quilos quase alcança.

Pouco tempo eu chorei...
Não fiz grande algazarra,
Quieto...por ali fiquei
Deitado na minha nova cama.

Mas que grande rapazão,
Diziam as minhas vizinhas
Que Deus lhe dê bom coração,
Boa mulher e boas filhas.

O autor;
J. Boni.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Sala de Espera

Vou-me sentar mesmo aqui...
Algum tempo vou esperar,
Vou escrever um pouco, enfim
Do que me possa lembrar.


Porque motivo eu escrevo?
Também podem perguntar,
Neste espaço em que as pessoas
Vêm para se tratar.


Pequena sala de Hospital...
Onde estas cadeiras esperam,
Por quem cá chega mal
Por quem nelas desesperam.

No balcão das marcações,
Aguardam pelos doentes
Para exames aos corações,
Aos ossos,  ou aos dentes.


Aqui todos os doentes,
Vêm com muita esperança
Alguns ainda melhoram,
Outros nunca a alcança.


Bata branca ou azul,
Da enfermeira à doutora
Da empregada de limpeza,
À vontade de ir embora.


Olhei um pouco em frente
Vejo no canto de uma sala,
Cinco cadeiras, duas pessoas
E mais uma que ar inala.


No olhar destas pessoas,
Não vejo nenhum contente
E apesar de assistidas,
Sua saúde continua ausente.


Uma senhora já idosa,
Toda de cabelo branco
Toda triste e receosa,
Liberta seu grito de pranto.

Chega um familiar...
De um doente que desespera,
E eu já sinto falta de ar
Nesta sala de espera.



Porque não Tomas conta,
De todas estas pessoas, Santo Deus...
Trás-nos saúde para todos,
Dá-nos alegria, com sorrisos Teus.

O autor;
J. Boni.



sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Os meus Desejos

Fui passar por um caminho
Onde nunca sonhei passar
Mas ao passar por ele sozinho
Pude ao mundo, alto gritar.

Gritar que quero amar...
Alguém que não encontro,
Que não sinto, não vejo 
Fica minha alma em confronto,
Com este dilema...este penar
Que mesmo sem contexto
Teima em não parar.

Quero voar com os peixes,
Nadar com as pessoas...
Caminhar com os animais,
Se meus desejos são estes
Quero seguir sem ais...

O autor;
J. Boni.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Hoje chora o meu Coração

Hoje choro por mim...
Mas a mim, ninguém me vê chorar,
Tolice seria minha enfim
Se alguém pudesse apenas sonhar.
Sonhar de me ver,
Por tão enorme contrasenso
Alegria mostro sempre ter,
Mas nunca digo tudo o que penso.
Se tenho uma desilusão,
Fico com ela...só para mim
Aos amigos, reservo apenas
As alegrias, os bons sentimentos
Não têm culpa que o meu coração
Passe por tantos tormentos.
Posso chorar...hoje, amanhã...
Talvez até todos os dias,
A esperança, sei que um dia voltará
E vai tranformar os dias negros
Em puros sentimentos de alegria,
De ternura de grande paixão
Porque só com muito amor,
Pode viver o meu coração!

O autor;
J. Boni.

domingo, 26 de outubro de 2014

Sonhei com a minha Praia

Acordei um dia numa praia,
Sem nunca lá me ter deitado
Não passei lá a noite,
Nem estive sempre acordado.

Existem coisas....
Que por vezes, nem eu sei explicar
Reservam-nos algumas surpresas,
Que nos deixam apenas a pensar.

Às vezes procuro em mim,
Uma luz..uma ideia nova
Uma prova que não enlouqueci,
Que só o tempo prova.

Talvez seja apenas...
Uma questão de tempo,
Ou um destino tão atroz
Mas só o tempo...
Responde por nós.

Acordei mais um dia,
De uma noite sem dormir
Não perdi a minha alegria
Nem o meu jeito de sorrir.

Tento sorrir e cantar...
E do meu jeito correr,
Vi a praia, sem lá estar
Acordei sem adormecer.

O autor,
J. Boni.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Tentem Viver como Eu



Um dia ouvi chorar,
O meu pobre coração
Não foi por a tristeza me visitar,
Mas sim por outra razão.

Vi que chorava de alegria
Em outra coisa nem pensei,
Mas alegrou tanto o meu dia
Que feliz que fiquei.

Dei voz à fantasia...
Que por ele, podia escrever
O melhor na vida é a alegria,
O melhor que podemos ter.

Tentem viver como eu,
A trabalhar diariamente
Sem em tristezas pensar,
Com alegria, vivo contente
Não custa nada trabalhar.

O autor;
J. Boni.

Nesta tarde de Sol

Nesta linda tarde de sol
Que teus olhos faz brilhar,
Faz-me lembrar as estrelas
Que nunca posso apanhar.

O seu brilho tão intenso,
O seu lindo cintilar...
Recolhi-o há muito tempo
Para sempre o recordar.

Tua face dá apoio,
A esse teu especial olhar
Minha mente sinto parar,
Se não te posso tocar.

Levanto minha cara ao sol
Ao mesmo, que te guia
Mas o meu parece parar
Frente à tua grande magia.

Porque brilhas lindo sol
Apenas quando queres,
Continua sempre assim
Ilumina as lindas mulheres.

O autor;
J. Boni.



Este meu Olhar

Soltamos uma palavra quente,
Ás vezes parece quase fogo...
Sendo assim tão ardente,
Entra sempre no dialogo.

De repente algum vento passa,
E a palavra perde a razão,
Porque fica longe da lembrança
E esperança que vive no coração.

A esperança das palavras,
Vão passando com o tempo
Querem aceitar a diferença,
Sem causas, nem contratempo.

É uma causa que merece debater
Sem ponto de interrogação,
Como quem clama ter 
Amor no coração.

Quando salta uma palavra quente,
Num amor tão ardente...
Deixa-nos sempre sorridente
E o fogo...no coração da gente.

O autor;
J. Boni.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

As lágrimas correm pela sua Cara




As lágrimas correm pela cara
De tão adorada criatura,
O seu coração...
Parece estar em suas mãos
Que se elevam ao Céu,
Tenta pedir ajuda Celestial.
Seus cabelos já brancos,
De seus anos percorridos
Ondulam pelo seu rosto,
Onde o vento vai beijar...
Suas rugas são bonitas
Mas esta tristeza veio alojar.
Seu filho partiu primeiro,
Para junto de nosso criador
Sem tempo para um beijo,
Um beijo de seu amor.
Que será de sua vida,
Mais sozinha, mais triste
Deus a deixa sem família,
Mas decerto nunca sozinha.
Porque durante toda a vida...
Passamos por tristezas 
Por amarguras por privações,
Mas só com muito amor
Podem viver nossos corações.

O autor;
J. Boni.

domingo, 19 de outubro de 2014

Não me Acordes


Hoje sei bem, o que é o amor
Mas nada vou dizer...
Herdei esta grande dor,
Mas só penso em viver.
Vejo o sol, vejo a luz
A minha vontade de chegar,
À tua imagem ao teu olhar,
Que deveras me seduz
A tua madeira de amar.
Vou correr para te ver...
Vou-te amar se puder,
Quando te ver partir
Mas antes abraçar...
Talvez haja um espaço,
Onde com a lógica
Do meu meu abraço,
Possa até acordar.
Não me acordes,
Deixa-me sonhar...
É cedo para acordar,
E eu...só te quero amar.

O autor;
J. Boni. 


domingo, 12 de outubro de 2014

Se a minha Alma Falasse

Se a minha alma falasse,
Com a voz da razão
Talvez de certa forma calasse
Os ruídos de meu coração.

Se a minha alma falasse,
Tanto que poderia dizer
Porque tanto chora meus olhos,
Apenas por uma mulher.

Porque é que o amor
Tanto assim faz sofrer,
Coração ferido dá muita dor
Apenas por uma mulher.

O amor é como a chuva,
Não escolhe onde molhar
Quando cai não é segura,
Mas molha quem quer amar.

O autor;
J. Boni.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Qual será o meu Caminho

Por ondas e ventos,
Marés e tempestades
Tristezas...alegrias, lamentos.
Sentir algumas alegrias,
Mesmo até outros sentimentos
Tudo em mim são fantasias,
Na minha alma de tormentos.


Descobrir certos caminhos,
A pensar no tempo de outrora
Muitos sonhos sem carinhos...
Prosseguir estrada fora,
Sempre por diferentes caminhos
Como o que percorro agora.
Todos os caminhos vêm e vão,
Como um comboio em sua linha
Alguns se dirigem ao coração,
Coração que não definha
Toda a sua gratidão.
Por vezes penso em meu caminho
Que distância vou percorrer,
Muito trabalho, viver sozinho
Como posso eu viver.

O autor;
J. Boni.





sábado, 4 de outubro de 2014

Um dia eu Quis

Quis abrir a porta à minha vida
Mas tive que a deixar sair pela janela
Queria a minha vida divertida,
Mas não é a vontade dela.

O meu coração, já mal o sinto
Apesar de muito falar com ele,
Ele sabe que o estimo...
Mas não sinto sinal dele.


Um dia eu quis gritar,
Por caminhos tenebrosos, sombrios
Por entre montes, vales e rios
Só com o Céu para me guiar.

Um dia eu quis viver,
Apenas de amor e alegria
À fonte do amor ia beber,
Mas nunca encontrei tal magia.

Um dia eu quis perguntar,
Se alguém me podia dizer
Iria algum dia conseguir amar,
Ou iria confuso morrer.

Um dia eu quis.......

O autor;
J. Boni.





sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Olhei em teus Olhos

Olhei bem  em teus olhos,
Medi neles toda a sua realeza
Mas sem alegria, parecem pobres
Neles só vejo tristeza...



Para os alegrar, só eu sei
Percorri vales e montes,
Mas deveras que tentei
Até beber nas melhores fontes.

A alegria é um  valor
Que não devemos subestimar,
Porque a vida sem amor
É uma bandeira por hastear.

Posso sempre olhá-los assim,
Nunca me são diferente...
Mas amor ao pensar em ti,
O meu coração fica contente.

O autor;
J. Boni.



segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Só eu sei quem eu Sou

Só eu sei quem eu sou,
Mesmo que por vezes
Me sinta confundido,
Talvez penso muito
Que só olhe para a Lua...
Certa solidão ás vezes,
Tenta desorientar-me
Fazer-me perder a luz
Mas o teu Luar 
Por vezes me seduz.


Posso imaginar como o Sol.
Deve sofrer no dia a dia
Por expor todo o seu explendor
Por te querer aquecer com o seu calor,
Mas Lua, escondes-te todo o dia
E só à noite queres brilhar,
Porque te escondes tu
De tamanho amor.

O autor;
J. Boni.



sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Coração que Fala

Se a vida, não se esfumá-se
Por entre os dedos da mão,
Talvez menos eu fumasse
Agradecia o meu coração.

Coração que fala, mas não diz
De onde vem suas raízes,
Tenta só viver feliz
Vamos viver dias felizes.

Feliz bate o meu coração,
Quando se enche de alegria
Nunca penses em parar não,
Vive bem o dia a dia.

Dia a dia vive contente
Sempre com muita calma,
Tu nunca estás ausente...
És bem a minha alma.

O autor;
J. Boni.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Conto Contigo

Não sei porquê, mas sigo
Nesta estrada de marcha a ré,
O que persigo não sei...
Nem vejo o que é.

Da ideia à ilusão,
Da ideia, ao pensamento
Para trás sem pressão...
Para a frente, em passo lento.

Do sentido, de um pensar
Da memória quase cansada
De muito se esperar,
Quando não se espera...nada.

Quando bates meu amigo
Assim mais apressadamente,
Eu estou sempre contigo
Meu coração quase contente.

Nunca te quero esquecer,
Neste meu peito apertado
Onde sinto arrefecer...
Este teu grande reinado.

O autor;
J. Boni.


domingo, 14 de setembro de 2014

O Amor não tem Medida

O amor não tem medida,
Não se pesa, não se mede
Não tem peso... nem medida.



O amor é semelhante ao vento
O amor sopra-nos no coração,
O vento na nossa cara
No nosso cabelo, no nosso sorriso.
Ás vezes faz-nos sentir bem
Outras é apenas desalento...
Quantos pensam que o amor,
Se compara com a amizade
Mas se não se sente dor,
Então é pura vaidade.
Hoje mesmo aqui deitado
Em minha cama solitário...
Eu sozinho meditando,
Vou falando com a minha almofada
Que me vai suportando a cabeça,
Mas a meus pensamentos...
Não me responde absolutamente nada.

Beijem os vossos pais,
E os vossos filhos também
Porque o maior amor do mundo,
É só Deus quem o tem!

O autor;
J. Boni.




quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Lição de Vida

A vida só é fácil,
Para quem não a quer viver
Difícil para quem trabalha,
Diáriamente para comer.

Todos temos muitos amigos,
Quando temos algum dinheiro
Se amanhã formos mendigos
Nuinguém nos ajuda...
Nem a acender um candeeiro.

Esta é uma lição de vida,
Que todos devemos aprender
Quem não a levar aprendida,
Também não a consegue viver.

Esta é uma lição importante
E bem conhecida pela minha avó
Quem não prende num instante,
Vai para sempre viver só.

O autor;
J. Boni.

Perdido

Pedido e abandonado...
Nesta rua, escura e fria
Aqui me vejo desolado
Por não ter tua companhia.

Deixáste-me pela manhã,
Não quises ver-me acordar
Desesperado estou cá...
Ou estou só a sonhar.

Nem que possa, eu tenha
Uma calma...um elã
Há noite, não há quem venha
Nem tu vens pela manhã.

De abandonado, fquei perdido
E só tu me podes achar...
Não te esqueças, o que tenho sofrido
Volta para mim, vem me encontrar.

Sinto saudades do teu sorriso,
Da tua maneira de amar
Volta alegria, que eu preciso
Volta para me amar.

O autor;
J. Boni.






terça-feira, 9 de setembro de 2014

O Silêncio do Amor

E ... de repente,
Fez-se um enorme silêncio 
Na minha humilde cabeça,
O teu rosto é para mim
Uma simples miragem...
Sem ti não há o que aconteça
Espero por nova viagem.



O meu amor alucinante
Esvasia-se de meu coração,
Como água escorre...
Por entre os dedos da mão.
A minha vida...
Um rio vai imitando,
Escorregando por entre pedras
Contornando curvas e obstáculos
De maneira totalmente incontrolável,
Sem saber que só o teu amor
Me pode deixar feliz e confortavel.
Este silêncio contracena...
Com o meu pensamento
Que teima em vadiar
Pela minha cabeça,
Peço-te amor, para inventar
E talvez o amor aconteça.

O autor;
J. Boni.

Sonhei Conhecer-te

Deambulei pela mansão,
Com que sonhei conhecer-te
Mas meu grande sonho foi em vão
Passei o dia sem ver-te.

Já passa da meia-noite,
Só olho para as horas que passam
Praticamente levei um açoite...
Sinto-me entrar em desgraça.

Passa as duas, três e quatro
Ás cinco tento deitar-me,
Na humildade de meu quarto.

Mas o meu relógio não perdoa,
E ás seis quer acordar-me
Nem que minha cabeça doa.

Mais uma noite passada,
Neste meu sonho interminável
Sem sonhar não sou nada...
Sinto-me praticamente descartável.

O autor;
J. Boni.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

O Tempo é um Infinito

O tempo nunca pára,
Não tem vontade de parar
É certa coisa rara...
Pois nunca se vai achar.

O tempo não se pode contar,
Porque nada disto é lógico
Nem os números se podem somar
Nos ponteiros de um relógio.

O tempo é um infinito
Dá muito que pensar,
Nunca quero ficar hirto
Penso apenas em trabalhar.

Em pouco tempo dás coragem
A este meu pobre coração,
Minha alegria é pura miragem
Rezo a Deus minha oração.

Neste tempo infinito,
Com falta de paz e amor
Muito eu fico aflito...
Com o mundo em meu redor.

O autor;
J. Boni.