Translate

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Quero sempre Acreditar

Encontro-me no centro deste lago,
De pé, espalho em redor o meu olhar...
Tudo à minha volta, parece longínquo
Em meu corpo posso sentir,
Este infernal frio amargo.
Por não te ter junto de mim,
Que direção podem meus passos dar
Tudo é gelo em meu redor,
Que mal consigo caminhar.
Quero sempre acreditar...
No que ninguém acredita
Ao largo são as árvores,
Que suportam o meu olhar
Enquanto minha alma medita.
Não me contento em receber de ti
Apenas uma lembrança
Ou até um simples não,
Mas desejo muito a tua presença
Para que aqueça o meu coração.
Assim continuo a sonhar...
Com o que me parece impossível
No que ninguém quer acreditar
Enquanto meu coração estiver sensível.

O autor;
J. Boni.



sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Sentei-me na tua Cama

Sentei-me na tua cama,
Só te falei de desgraça
Enquanto a chuva que caia
Ia molhando a tua vidraça.

Sentei-me na tua  cama...
Contei-te uma aventura,
Apenas durou, uma semana
Mas foi plena ternura.

Falei-te em tua cama,
Apenas ficaste a escutar
Permaneceste sempre calada,
Até eu me calar...

De teus olhos saía,
Apenas compaixão...
Mas eu não sorria,
Porque chorava meu coração.

Acabei, por sair
De teu quarto, de tua vida...
Pensei que ia apenas partir,
Mas não era o que sentia.

O autor;
J. Boni.



sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Estranha Imagem

Que estranha subtileza,
Que estranho sabor de teus lábios
Meu pensamento é simples pureza,
Mas teus atos são pecados.

Quem então serei eu...
Para te poder julgar, 
Com o meu humilde sentimento
Ou apenas um rústico olhar.

Os teus cabelos esvoaçam,
Livres, soltos ao vento
Por minha cabeça, como que passam
Estrelas pelo firmamento.

Tua imagem em minha cabeça,
Teima sempre em sorrir
Pelos meus neurónios, tropeça
Mas sem vontade de partir.

Que estranha imagem,
A minha cabeça invade
São meus sonhos de coragem,
Em torno de minha vontade.

O autor;
J. Boni.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

O Nosso Céu

Ao fim da tarde, 
Tento olhar o céu,
Se o ver, talvez pense
Que sem nuvens o queria eu,
Quase sempre o sol vence.
Mas hoje, ainda não o vi
Por entre estas nuvens,
Passa uma luz, 
Linda resplandecente
Quase até que me seduz,
E me deixa muito contente.
Paira um brilho no ar,
Deixa o nosso ar tão brilhante
Fica especialmente puro,
Que ao respirar...
O nosso espírito, fica radiante.
Ficamos puros de espírito
Leve fica a nossa alma,
Assim ninguém fica aflito
Paira em nós, uma grande calma.
Desejo eu sempre ver
O nosso azulinho céu,
Porque com ou sem nuvens
Esta maravilhosa luz apareceu.
É do céu que nos vem,
O nosso ar, a nossa luz
A água, vem também
Todo amor nos seduz,
Mas principalmente, 
O amor do nosso Pai.

O autor;
J. Boni.

Para além do meu Olhar

Depois de uma noite

De luz resplandecente,
Eis que mais um dia escuro
Atravessa meu coração ausente.
De tudo, mas ao mesmo tempo
Vestido de nada...
Às vezes chego mesmo a pensar,
Onde estarei eu de verdade;
Vejo noticias na TV,
E no rádio sempre a escutar
Sem conseguir perceber,
Como devem calcular.
Para além do meu olhar
Por tempos que minha memória
Tento muito apagar, 
Não há mais para ver
Senão fome e intolerância,
Desumanização falta de respeito
Aumenta todos os dias a ganancia,
E a mim só me faz, doer o peito.

O autor;
J. Boni.




domingo, 7 de dezembro de 2014

Preciso Descansar

Deitei-me com a luz
Que o dia hoje, me quis dar
Descansar, me seduz
Nem consigo esperar.

Deitei-me com a luz,
Que vai batendo na janela
No vidro que deixa trespassar,
O meu olhar por ela.

Corpo cansado e sem alento,
Custa até respirar...
Vou manter-me bem atento
Não esquecer um momento,
Nem um pouco vou parar.

Deitei-me muito cansado,
Mas continuo ainda a pensar
No muito que tenho passado
E no que tenho que trabalhar.

Anoitece mas torna a vir
Um novo amanhecer,
Para que possa a sorrir
Ou um pouco mais sofrer.

Vou agora adormecer...
Quero um pouco descansar
Quero esta noite viver
E amanhã vou trabalhar.

O autor;
J. Boni.